content top

Resenha de Jogos Criminais

Livro: Jogos Criminais – Contos Policiais
Autor: Sergio Pereira Couto (organizador)
Editora: Andross
Categoria: Literatura nacional/Contos
ISBN: 9788599267486
Páginas: 192
Lançado: 2011

Quais motivos te levariam a cometer um crime? O que seria capaz de distorcer sua percepção a ponto de ver o errado como certo? Que tipo de prazer sentiria em criar um plano de destruição para diversas vidas, sejam elas culpadas ou inocentes? E para você, o que caracteriza um crime?

As respostas para estas e outras perguntas podem ser facilmente encontradas em Jogos Criminais, da Andross Editora, onde o organizador Sérgio Pereira Couto se cercou de cuidados para não deixar pista nenhuma que levasse os contos ruins até seu livro mas, como não existe crime perfeito, alguns contos não tão bons (não que sejam de todo ruins) conseguiram chegar ao suspeito, fazendo parte da seleção de 34 textos que compõem a antologia.

A Voz do Silêncio, de Breno Dias: Um morador de Hell’s Kitchen em Nova Iorque pensa em tudo que já passou e no que o levou à vida que segue hoje.  – É um conto muito curto, mal explicado. Ao final da leitura ele deixa aquele “hein?”. A ideia foi otima, mas a execução…
Joana e Maria, de Debby Lenon: Maria é uma garotinha doce e muito ligada à sua mascote Joana – uma píton – com quem tem mais afinidade do que com os próprios pais. – Outra ideia muito interessante, mas que faltou um pouco mais de detalhes pra ajudar a entrar no clima da história.
Causo de Moleques, de Cecilia Torres Nogueira: Três amigos que desde em cedo aplicam golpes juntos. – A meu ver parece um daqueles trabalhos de escola onde o professor pede para os alunos escreverem uma notícia ficticia. Bem fraco.

Sei que pode parecer que o problema está em contos curtos, ou que EU tenho problemas com contos curtos, Mas não é verdade.
O Interrogatório do Estranho Menino, de Mário Bentes: Um garoto aparece de madrugada em uma pequena delegacia para informar um crime. Nas roupas, o sangue da vítima que ele dizia ter visto morrer. – Esse conto tem aproximadamente o mesmo tamanho de “Joana e Maria” mas foi bem desenvolvido, todas as pontas foram bem amarradas, se tornando um ótimo conto. mesmo – e talvez principalmente pelo fato de isso acontecer – tendo um final bastante previsível.
Mais um conto muito bom é A Marca do Dragão, de O. A. Secatto: Tatsuo Ryuken é um empresário que mora com a esposa em uma bela casa. Possuía uma armadura samurai – joia de sua familia – que era odiada por sua mulher, e que vinga sua honra no dia que a consorte de Tatsuo o está traindo em sua própria cama. – O desenrolar da história é inacreditável, um crime perfeito!

Devo destacar também Preguiça: Pecado Capital, Virtude Excomunal, de Leonardo do Carmo; Lucius, de Georgette Silen; O noivado, de Sandra Franzoso e Rogai por Nós, de Milton Júnior;  que sem sombra de dúvida entrariam para a “familia”. *sotaque italiano*

Nota de 0 a 10: 7,5



Leave a Reply